23 de set de 2009

PLANOS DE SAÚDE x CIRURGIA DA OBESIDADE

Muita gente andou me perguntando sobre as cirurgias realizadas por liminares. O que eu posso dizer é que os planos de saúde, e mesmo o SUS vêm fazendo pouco caso ao tratar da obesidade. Muitas vezes argumentam que não é dever deles o pagamento da cirurgia pelo fato de o plano de saúde ser anterior à Lei dos Planos de Saúde, outras vezes argumentam que o contrato não lhes obriga a tratamentos para situações estéticas, dizem ainda que não liberam o procedimento através da videolaparoscopia, ou simplesmente custam meses e mais meses para liberar o procedimento.

Em qualquer uma destas situações, eu, como estudiosa em Direito à Saúde, lhes garanto: a justiça tem estado do nosso lado! Temos um arsenal de ordenamentos jurídicos que nos protegem: é o Código de Defesa do Consumidor, a Lei dos Planos de Saúde, a Constituição Federal, o Código de Ética Médica, e aqui eu poderia citar vários outros ordenamentos.

Mas o que eu posso dizer é que se você realmente quer tratar a obesidade mórbida através da cirurgia bariátrica você pode! Basta você querer, e estar disposto a sujeitar-se ao tratamento longo do pré e pós-operatório.

Aqui vão algumas dicas sobre os contratos:

1º verifique se na cláusula que refere-se aos procedimentos hospitalares cobertos, consta ou não o procedimento eleito (neste caso, a cirurgia da obesidade): constando, a operadora não poderá negar o procedimento.

2º verifique se, na cláusula que trata das exclusões, contém a exclusão da cirurgia da obesidade, confira também se constam excluídos os procedimentos realizados por videolaparoscopia. Havendo exclusão, de fato, a operadora não tem a obrigação contratual de cobrir o tratamento. No entanto, ao meu ponto de vista, em razão de a obesidade ser uma doença reconhecida pela ANS, deverá receber tratamento, mesmo que cirúrgico das operadoras de plano de saúde.

3º Confira o valor da cirurgia, este valor deve ser documentado, através de orçamento, e, se você está em uma região em que a cirurgia sai por até R$5.500,00, você poderá juntar todos os documentos com assinados pelos médicos que lhe assistiram cópia do contrato, especialmente das páginas que tratam das cláusulas acima mencionadas e entrar pessoalmente nas pequenas causa. Nesta única situação, você poderá entrar com o processo, sem estar assistida por advogado. Mas é importante você pedir um pedido chamado liminar.

Mas, se o procedimento orçado for superior àquele valor, aconselho que você procure um bom advogado que entenda deste assunto, para que você possa dar andamento em sua cirurgia. Nestes casos, a justiça tem sido bem ágil em liberar a cirurgia.

Se você tiver alguma dúvida, por favor, contate-me: cintia.kml@gmail.com ou (51) 9966.1211

2 comentários:

  1. Que prestação de serviço maravilhasa essa que vc deu agora!!!
    Muitas pessoas me perguntam e eu digo isso tudo que vc escreveu, mas não dessa forma tão didática.
    Parabéns!
    Beijinhos
    Fabíola

    ResponderExcluir
  2. oi, gata??
    vc está lindona...e bem mais magra!!! adorei estas suas dicas...é muito bom ter pessoas formadas e inteligentes como blogueira.rsrsr.
    tenha uma ótima semana.
    beijão.

    ResponderExcluir

Oi! Você deseja comentar?
Sinta-se à vontade!